Entrega de Comida e o Coronavírus: Guia para clientes e operadores – Na continuação do artigo que escrevi sobre as FAQs do Coronavírus para Restaurantes, Cafés e Lanchonetes, alguns visitantes entraram em contato através do chat. A maioria deles fizeram a mesma pergunta:

Os restaurantes estão seguros com o surto de Coronavírus?

Por esse motivo, decidi elaborar um Guia sobre entrega de comida e o Coronavírus que poderia ser usado tanto para clientes como operadores.

Entrega de Comida e o Coronavírus: Perguntas Gerais

Os restaurantes estão funcionando?

Embora não haja uma resposta geral de sim ou não, a maioria dos restaurantes ainda estão abertos.

Além disso, alguns estabelecimentos também estão redirecionando suas operações apenas para coleta e/ou entrega (delivery).

Dito isso, muitos restaurantes podem mudar seu horário de funcionamento e colocar algumas limitações para evitar qualquer contato físico, restrição de assentos e tipos de pagamentos, optando principalmente para pagamentos online ou através de cartão e celular.

Alguns comércios levaram o assunto para outro patamar…

Por esta razão, é sempre uma boa ideia dar uma olhada em seus perfis nas redes sociais. Se não houver informação disponível, você pode obter através de uma ligação.

Os restaurantes podem permanecer abertos?

Isso varia de país para país e até mesmo entre os Estados. Em São Paulo, por exemplo, bares, padarias e restaurantes podem abrir com reforço nas regras de higiene determinadas pelo Governo de SP (Fonte: estadao.com.br), já em Portugal, todos os restaurantes deverão fechar as portas ao público, mas podem continuar o funcionamento em regime de “entregas ao domicílio” e retirada no balcão, o chamado “takeaway” (Fonte: dinheirovivo.pt).

É seguro fazer pedidos para entrega?

Pedidos de delivery são geralmente seguros, pois atualmente não há evidências de que o COVID-19 seja transmitido através de alimentos, embalagens e recipientes ou no manuseio de alimentos.

Entrega de Comida e o Coronavírus: Alimentos

O COVID-19 pode ser transmitido através de alimentos?

Já informamos esta resposta no artigo FAQs do Coronavírus para Restaurantes, Cafés e Lanchonetes:

A experiência com SARS e MERS sugere que as pessoas não são infectadas com o vírus através dos alimentos, portanto, é improvável e ainda não há evidências disso acontecendo com o COVID-19 (Coronavírus) até o momento.

O Coronavírus precisa de um hospedeiro (animal ou humano) para crescer e não podem crescer em alimentos. É esperado que o cozimento completo mate o vírus, porque como sabemos, o aquecimento de pelo menos 30 minutos a 60ºC é eficaz com SARS (fonte: fsai.ie).

O Coronavírus pode ser transmitido através de embalagens de alimentos?

Mais uma vez, do mesmo artigo:

Atualmente, não há evidências de que alimentos ou embalagens de alimentos estejam associados à transmissão do COVID-19. Assim como em outros vírus, é possível que o COVID-19 possa sobreviver em superfícies ou objetos como dinheiro.

As informações atuais sugerem que o vírus pode sobreviver algumas horas nas superfícies.

Como não há dados significativos disponíveis, o especialista em doenças infecciosas Dr. Thomas Tsai dá os seguintes conselhos (fonte: The Guardian):

Lave sempre as mãos antes de abrir recipientes e eventualmente limpe as superfícies.

O Coronavírus pode ser transmitido por meio de manipulação de alimentos?

Atualmente, não há evidências de alimentos ou embalagens de alimentos associados à transmissão do COVID-19.

Dito isto, provavelmente vale a pena fazer uma distinção entre os operadores de restaurantes que preparam os seus alimentos e aqueles que fazem a entrega do seu pedido.

Os entregadores podem pegar COVID-19?

Como se encontram regularmente com várias pessoas como parte de seu trabalho, suas chances de contrair o vírus são maiores que a média.

A entrega sem contato estabelecida por muitos serviços de entrega de alimentos deve reduzir o risco de ser contaminado pelo COVID-19 para entregadores e clientes.

Manter o chamado “distanciamento social” também é outra maneira de minimizar o risco.

Os entregadores têm mais risco de contrair o COVID-19?

Novamente, Dr. Tsai sobre isso:

Especialmente se eles estão fazendo entregas para famílias que estão em quarentena porque tiveram um resultado positivo para a infecção. Dado o número de pessoas que vêem diariamente, os entregadores provavelmente estão entre aqueles com maior risco de exposição, portanto, eles precisam ter cuidado.

Entrega de Comida e o Coronavírus: Entrega de Alimentos

O que os serviços de entrega estão fazendo em relação ao COVID-19?

A maioria dos serviços de delivery, como iFood, Glovo, Uber Eats e Rappi, estão adotando precauções extras para tranquilizar seus clientes e parceiros. Esses incluem:

  • Entrega sem contato
  • Pedidos online ou por telefone
  • Pagamentos sem contato
  • Luvas de proteção para a equipe de atendimento ao cliente
  • Antibacterianos e desinfetantes para funcionários e clientes
  • Distanciamento social
  • Política de um cliente por vez
  • Entrega diretamente carro
  • Através de uma janela

Entrega de comida e o Coronavírus: Guia para clientes e operadores

Como é a entrega sem contato?

Entrega sem contato ou Zero Contato significa que não terá contato com o entregador da sua comida, que será deixado à porta ou num ponto de entrega previamente estabelecido.

Como é a entrega diretamente no carro?

Significa que você receberá seu pedido enquanto aguarda no carro fora do local. Alguns restaurantes e lanchonetes pedem aos clientes para esperar no carro ou dão esta opção.

Como é a entrega através de uma janela?

A entrega dos alimentos será feita através de uma janela. Uma das mais conhecidas instalações desse tipo é o drive-thru do McDonald’s.

O que é o distanciamento social?

O distanciamento social consiste em manter um espaço de 2 metros entre você e outras pessoas. Também é recomendado não apertar as mãos ou fazer contato próximo, se possível.

O distanciamento social é feito em locais que aceitam entrada de pessoas, como restaurantes, padarias e lanchonetes.

Entrega de comida e o Coronavírus: Guia para clientes e operadores

O que é o pagamento sem contato (contactless)?

O pagamento sem contato é uma forma de pagamento em que você pode comprar produtos ou serviços usando seu cartão de crédito, cartão de débito ou smartphone.

Você paga aproximando seu cartão, smartphone ou smartwatch por um segundo dispositivo, usado para processar o pagamento.

É particularmente recomendado como forma de pagamento preferida durante o surto de coronavírus, pois não envolve o toque de nenhuma superfície.

Posso pagar meu pedido em dinheiro?

Enquanto alguns estabelecimentos ainda aceitam o pagamento em cash, é recomendável que você use pagamentos sem contato, pois o COVID-19 pode sobreviver em superfícies e objetos como o dinheiro.

iFood e o Coronavírus

Receber pedidos do iFood sem contato físico com o entregador é uma opção do aplicativo para Android e iPhone (iOS). O recurso procura diminuir a transmissão e conter a pandemia do coronavírus causador da COVID-19. Ao selecionar a nova opção de entrega, o usuário pode combinar via chat onde o pacote deve ser deixado. É necessário optar pelo pagamento digital por cartão de crédito ou débito. Além disso, ainda é importante lavar as mãos com água e sabão após receber e desembalar o pedido. (fonte: techtudo.com.br)

Rappi e o Coronavírus

A Rappi também adotou a entrega sem contato físico – opção inserida no aplicativo, a critério do cliente. Segundo a empresa, um fundo foi destinado aos seus personal shoppers e à compra de álcool em gel e máscaras antibacterianas, distribuídos para entregadores. (fonte: revistapegn.globo.com).

Entrega de comida e o Coronavírus: Guia para clientes e operadores

Uber Eats e o Coronavírus

A Uber publicou uma declaração oficial em seu site sobre o surto do Coronavírus e as medidas de precaução que estão tomando. Aqui estão os pontos principais:

  • De acordo com as autoridades de saúde, eles estão suspendendo temporariamente ‘motociclistas ou motoristas que confirmaram ter sido expostos ao COVID-19’.
  • Eles estão fornecendo desinfetantes aos motoristas e os ajudam a manter seus carros limpos.
  • Eles têm uma opção ‘sem contato’ para entregas, onde você pode pedir ao seu correio para deixar sua comida na porta.

Entrega de Comida e o Coronavírus: Pizza Delivery.

Pizza Hut e o Coronavírus

A Pizza Hut postou em suas redes sociais um comunicado reforçando a higienização em seus restaurantes e a segurança no manuseio dos alimentos.

Domino’s e o Coronavírus

A rede estimula que os pedidos e pagamentos sejam feitos online e, na hora de levar a pizza, o entregador deixa a mochila na porta da casa e se afasta dois metros para que o próprio cliente retire a encomenda. (fonte: www1.folha.uol.com.br)

Entrega de Comida e o Coronavírus: Redes de Fast Food

McDonald’s e o Coronavírus

Os mais de 1.000 restaurantes da rede no Brasil vão operar exclusivamente por delivery, drive-thru e pedidos para viagem. A mesma regra se aplica aos 175 da franquia em Portugal.

Subway e o Coronavírus

A rede publicou em seu site uma nota de responsabilidade social com algumas medidas que estão sendo tomadas:

  • Aumentando a frequência de limpeza e higienização dos restaurantes, em especial as superfícies de maior contato, como maçanetas, máquinas de cartão de crédito, áreas de refeição e banheiros, para que sejam feitas de hora em hora.
  • Removendo temporariamente as cestinhas de sanduíche e bandejas de refeição usadas dentro do restaurante, e alterando nossa política de refil de bebidas para oferecer um copo novo a cada refil.
  • Reforçando nossos protocolos atuais de saúde e segurança alimentar junto às equipes dos restaurantes, como a lavagem frequente e correta das mãos e o uso de luvas, além de garantir que os funcionários que ficarem doentes fiquem em casa e busquem ajuda médica.
  • Fazendo com que seja um pouco mais fácil ter uma experiência com menos contato, como através do nosso parceiro de delivery Uber Eats.

Outback Steakhouse e o Coronavírus

Estão fechadas temporariamente, todas as unidades da franquia Outback Steakhouse no Brasil, contudo, seguirão a preparar pratos para o serviço delivery, via aplicativo iFood. (fonte: vejasp.abril.com.br)

Entrega de Comida e o Coronavírus: Apêndice

Entrega de Comida e o Coronavirus: Fontes

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/painelsa/2020/03/para-evitar-virus-rede-dominos-deixa-cliente-retirar-pizza-da-mochila-do-entregador.shtml
https://www.uber.com/br/pt-br/coronavirus
https://www.publico.pt/2020/03/18/p3/noticia/deixe-pedido-porta-favor-podemos-continuar-encomendar-comida-online-1908251
https://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/2020/03/coronavirus-como-usar-a-opcao-receber-sem-contato-fisico-do-ifood.ghtml
https://revistapegn.globo.com/Noticias/noticia/2020/03/coronavirus-acoes-dos-aplicativos-para-proteger-entregadores-e-motoristas.html
https://www.fsai.ie/faq/coronavirus.html
https://www.jn.pt/economia/mcdonalds-restringe-servico-ao-drive-thru-e-a-entrega-ao-domicilio-11957939.html
https://exame.abril.com.br/marketing/mcdonald-fecha-saloes-de-restaurantes-no-brasil-a-partir-de-23-de-marco/
https://www.subway.com/pt-BR/AboutUs/SocialResponsibility/covid19
https://vejasp.abril.com.br/comida-bebida/outback-fecha-todos-os-restaurantes-do-brasil-a-partir-de-amanha/

About Pasquale Mellone

Entrega de Comida e o Coronavírus: Guia para clientes e operadores 1Fundador e Chefe de Estratégia da Increasily. Tem mais de 15 anos de experiência em marketing digital e trabalhou em projetos multilíngues para marcas e agências internacionais. Atualmente, trabalha como professor na Academia de Marketing Digital da Irlanda.

0
Comments

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *